Avançar para o conteúdo principal

Psi, quem?

PSICÓLOGA ISABEL FILIPE
Membro Efectivo Ordem dos Psicólogos nº 2074

O meu percurso académico foi muito rico e interessante, sempre bem pautado pela esfera social a intrometer-se de forma adequada. A sabedoria, para ser consolidada e saudável, deve associar os livros e a teoria à prática de viver, pelo que desde sempre tento fazer uso dessa máxima.

Formei-me em Psicologia, especializando-me em Psicologia Clínica e da Saúde, pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, em 2005. Em 2013, concluí o Mestrado na mesma instituição académica, aprofundando a área familiar, especificamente a relação de conflito entre pais e filhos jovens adultos. De modo a desenvolver algumas áreas de conhecimento que me pareceram pertinentes para a prática profissional, realizei também, algumas formações complementares, como Terapia de Casal, Curso de Sexualidade Humana, Curso de Terapia da Fala níveis I e II e outros cursos em diversas psicopatologias.

Actual e futuramente, estou segura de que a pesquisa e o aprofundamento desta área tão fascinante e rica como é a Psicologia, estarão sempre presentes no meu quotidiano, de forma a potenciar a minha experiência e trabalho clínico.



Mensagens populares deste blogue

Gestão das Emoções, suas competências e aspectos

Continuemos a nossa jornada pela Gestão dos nosso sentimentos! Hoje vamos conhecer, aprofundadamente, o modo de gerirmos as nossas emoções, tendo em conta os seus aspectos pessoais e sociais! Mas atenção: Ler é fácil... Difícil é por em prática o que descobrimos. Mas se pensarmos bem, o mero conhecimento da vida não nos permite vive-la, portanto sugiro: porque não experimentar o que vos parecer agradável?

Confiança em si próprio

Auto-confiança! Esta palavrinha pequena, com consequências tão grandes! Com toda a certeza, há dias em que se sentem mais seguros de vocês próprios e outros que parece que não vale a pena afirmarem-se nadinha, pois estão muito incertos que valha a pena partilharem o que quer que seja... Ainda podem conhecer aquelas pessoas, que "muito cheias delas mesmas", consideram que, independentemente de com quem estão, eles sabem mais, conhecem melhor, praticam com mais mestria! Daí que seja tão útil (e mais agradável para a sociedade!!!) termos um nível óptimo de auto-confiança! Para cuidarmos bem de nós e para respeitarmos o outro! Mais à frente iremos aprofundar a

Posso melhorar a opinião que tenho de mim próprio?

Ora vamos finalmente inserir informações neste espaço criado para que possamos partilhar acções e sentimentos! Começamos com autoestima, conhecermos e estimularmos a nossa só depende d e nós mas afecta a todos! Leiam, ajam, s intam e comentem! Este tema ins ere-se no Desenvolvimento Pessoal, da sondagem sobre os temas que preferem, o qual mereceu o seu primeiro voto antes de todas as outras áreas, pelo que vai estrear o nosso blog! Falemos então sobre a autoestima! A autoestima é dos melhores amigos que podemos ter quer para sermos mais felizes, quer para tratarmos os outros com mais respeito! Se juntarmos o nosso auto-conhecimento e o nosso auto-respeito, deparamo-nos com a nossa autoconfiança! E se juntarmos a nossa autoconfiança à nossa autoestima, resulta no

Depressão, a doença da tristeza - Parte 1

Hoje vamos falar sobre uma epidemia silenciosa, que gosta de se camuflar de tristeza. Estar triste é sentir melancolia. Sentir melancolia é pintar a imagem interior com cores sombrias. Tudo o que vemos e pensamos passa por um filtro pessimista, cinzento. Há um grande mal-estar afectivo. As diferenças entre a tristeza psíquica (reactiva) e a tristeza depressiva (sem motivo) são interessantes. A tristeza psíquica deve-se a